sábado, 23 de outubro de 2010

Luiza (Tom Jobim)

Rua,
Espada nua
Boia no céu imensa e amarela
Tão redonda a lua
Como flutua
Vem navegando o azul do firmamento
E no silêncio lento
Um trovador, cheio de estrelas
Escuta agora a canção que eu fiz
Pra te esquecer Luiza
Eu sou apenas um pobre amador
Apaixonado
Um aprendiz do teu amor
Acorda amor
Que eu sei que embaixo desta neve mora um coração
Vem cá, Luiza
Me dá tua mão
O teu desejo é sempre o meu desejo
Vem, me exorciza
Me dá tua boca
E a rosa louca
Vem me dar um beijo
E um raio de sol
Nos teus cabelos
Como um brilhante que partindo a luz
Explode em sete cores
Revelando então os sete mil amores
Que eu guardei somente pra te dar Luiza

4 comentários:

  1. Lu,

    Quanta inspiração!
    Admiro seu lindo dom e post post post
    estou aqui para lhe ler, para visualizar este lindo Barraco de Vidro.

    Beijos, Luiza, mulher de um coração quente e apaixonado.

    Bia

    ResponderExcluir
  2. Bia, minha amiga girassol... obrigada pela força de sempre.

    ResponderExcluir
  3. Que massa, Jacke!!! Não conhecia esse seu lado artístico!!! Estás de Parabéns!!!! Beijoos, Amanda

    ResponderExcluir
  4. inigualável Tom Jobim e sua Luiza !

    ResponderExcluir

Cada click é um toque, um afago, um carinho. Obrigada por ter vindo, lido e comentado. Paz!